educação financeira

Educação financeira: entenda o que é e sua importância

Quando o quinto dia útil chega, dá um ânimo, certo? No entanto, aí você se lembra das contas que devem ser pagas, das faturas dos cartões de crédito pessoal e logo pensa que nem verá a cor do dinheiro. Se você já ouviu falar em educação financeira, deve ter pensado que existem muitas teorias, estudos, cursos e palestras. Mas não é bem assim.

A educação financeira se relaciona com a organização de finanças, conhecimento do quanto se gasta, planejamento de contas e investimentos futuros. Saiba, neste artigo, o que é educação financeira, qual é a importância da educação financeira e como aplicá-la.

educação financeira
O que é educação financeira? | Foto: Unsplash.

O que é educação financeira?

Há quem se engane em pensar que educação financeira se resume em teoria e cursos. Segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), educação financeira trata-se de aprimorar a compreensão em relação aos produtos e serviços financeiros, tornando-se capaz de fazer escolhas de forma informada. Logo, da habilidade de entender como o dinheiro funciona.

A educação financeira garante que você fique rico? Não, a educação financeira te ensinará a valorizar o que você tem, aproveitá-lo e, consequentemente, investir em algo que lhe traga retorno.

Conceitos da educação financeira

Sabendo o que é educação financeira, entende-se que há vários conceitos que fazem parte da área. Sendo assim, alguns dos principais são poupança, orçamento, impostos e crédito. A seguir, conheça mais sobre cada um deles:

Poupança

A poupança é o dinheiro que você poupa, ou seja, que você deixa guardado para utilizar em uma outra ocasião. Assim, a poupança é essencial quando o assunto é estabilidade financeira, pois ela é um meio de guardar dinheiro para utilizar no futuro ou diante de alguma emergência.

Orçamento

Já o orçamento pode ser considerado uma espécie de planejamento. Logo, ele serve como um guia que reúne o dinheiro que se ganha e o quanto quer gastar. Em resumo, é o dinheiro que você tem e é o local onde você consultará para saber se irá ou não realizar uma ação. 

Impostos

Mesmo que não seja algo visível sempre, os impostos permeiam a realidade de todas as pessoas e estão muito presentes no dia a dia. Afinal, normalmente estão incluídos em tudo o que pagamos e, inclusive, também podem estar em investimentos.

Pensando nisso, é importante ter na ponta do lápis, por exemplo, quanto paga de imposto de renda. Dessa forma, poderá planejar qual será seu orçamento do ano e não passar sufoco com falta de dinheiro.

Crédito

Por sua vez, o crédito é o dinheiro que será emprestado por alguém ou por uma empresa. Vale ressaltar que esse empréstimo está sujeito a juros. Portanto, o crédito deve ser pedido em situações de necessidade ou investimentos, levando em consideração os outros rendimentos.

Como mencionado acima, também existe a taxa de juros, que é um acréscimo, um valor que pagará a mais por algum empréstimo, por exemplo.

A importância da educação financeira 

Além da educação financeira ensinar como organizar as suas finanças, permite que você tenha mais controle sobre seu dinheiro.

Aplicar a educação financeira no cotidiano é poder conciliar compromissos obrigatórios (contas de luz, água, telefone, internet, mercado) e compromissos com pessoas queridas, como aproveitar um final de semana na praia, ir ao cinema ou jantar fora. 

De acordo com uma pesquisa feita em 2019, da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas(CNDL), SPC Brasil e o Banco Central, revela que 36% dos brasileiros não realizam o controle de orçamento. Além disso, 44% dos entrevistados estão ou já estiveram com o nome “sujo”. 

Apesar desses dados, nunca é tarde para se organizar financeiramente e saber controlar e guardar dinheiro. A educação financeira permite que você controle o seu dinheiro e aproveite a quantia armazenada para lidar com imprevistos, ou de entrar na faculdade desejada ou de poder realizar a viagem dos sonhos.

Entenda como funciona a educação financeira. | Foto: Unsplash.

Como aprender e aplicar a educação financeira?

Uma das primeiras dicas para você ter controle dos seus ganhos e gastos é: fazer uma planilha. Nessa planilha, é sempre bom colocar a quantia que você recebe e listar os gastos comuns, como contas de luz, água, internet e outros.

Com base no que for sobrar de dinheiro, de acordo com a sua planilha, você pode registrar e ver o quanto pode guardar para investir em algo que você queira e o quanto pode gastar. O importante é a tentativa de começar a ter controle com o próprio dinheiro, logo, abaixo, estão listadas dicas para começar a aplicar a educação financeira no seu cotidiano. Confira!

  • Saiba o quanto ganha e quanto gasta: um dos primeiros passos para começar a se organizar financeiramente é saber o quanto que entra e quanto sai mensalmente. É importante ter ciência para poder manter os pagamentos em dia e não acabar se endividando. Por isso, coloque em uma planilha o quanto recebe, gastos de cartão de crédito, contas fixas (água, luz, mercado, internet). Com isso, o controle do seu dinheiro ficará mais fácil.
  • Diferença entre preço e valor: o que tem preço e o que não tem? Um happy hour com amigos, por exemplo, é uma experiência que não tem preço, certo? Agora, aquele celular que acabou de ser lançado e que é de desejo de todos acaba deixando de ser o centro das atenções por alguma hora, antes mesmo de você terminar de pagar. Saiba investir em custos necessários e que serão benéficos para você posteriormente do que manter por status. 
  • Economize: embora seja tentador sair gastando com o que você sente vontade, saiba economizar! Não pense em começar a economizar só quando o mês estiver acabando, o mais recomendado é poupar assim que o salário cair na conta. 
  • Não faça dívidas: tome cuidado para não extrapolar com os gastos no cartão de crédito, certo? Após passar do dia de pagamento da fatura, você terá que pagar juros que, às vezes, são altos e podem ser além do que você pode pagar em determinado mês. 
  • Tenha planejamento financeiro: sabe aquela viagem tão desejada, mas naquele momento parece ser difícil porque vai além do que você pode pagar? A educação financeira consequentemente ajuda na concretização das suas metas, seja de curto ou longo prazo. Quando você se planeja e sabe quanto que terá de despesas, é muito mais provável que não passe ‘perrengue’. 

Organização para quitar dívidas

Em linhas gerais, a organização é uma das bases para a educação financeira. Sendo assim, ela também pode atuar na quitação de dívidas, caso alguém esteja “apertado” financeiramente.

Quitar as dívidas é essencial para o sucesso de um negócio. Isso porque, se não há dívidas para pagar, a empresa ou pessoa poderá investir em outras áreas e dar outro destino para seus rendimentos.

Pensando em tudo isso, fica evidente a importância da educação financeira. A Credisul é uma empresa que pode ajudar seu negócio quando o assunto é educação financeira. Afinal, desde 1999, a Credisul oferece crédito consignado, um empréstimo que é descontado da folha de pagamento – sendo do salário ou da aposentadoria – que pode auxiliar seu negócio, além de diversas outras facilidades financeiras.

Imagem padrão
credisul
Artigos: 35

Deixar uma resposta