recuperação de ativos

Recuperação de ativos: a forma de negociar inadimplências

Muitas empresas, senão todas, passam por problemas com inadimplências, que são baseados em dívidas ou pagamentos pendentes pelos serviços fornecidos. No entanto, isso é completamente normal no mundo corporativo, o que pode ser prejudicial é a maneira que a companhia decide resolver essa questão. O processo de recuperação de ativos é a melhor forma de resolver esse empecilho, pois propõe uma relação saudável e tranquila entre credor e devedor, exatamente esse é o diferencial.

Ao longo desse texto, será discutido exatamente o que é a recuperação de ativos, quais são seus diferenciais e benefícios na solução de inadimplências empresariais. A Credisul te explica, confira agora tudo sobre o assunto.

recuperação de ativos
Entenda o que é recuperação de ativos e para que serve. | Foto: Freepik.

O que é recuperação de ativos?

A recuperação de ativos nada mais é do que um método de resolver inadimplências por meio de negociações, estabelecendo uma relação bem estruturada entre credor e devedor. Dessa forma, esse processo consiste em uma construção do processo de resolução de problemas. Portanto, não basta apenas entrar em contato com devedores e cobrar valores pendentes, antes disso,existe uma série de etapas, que devem ser seguidas e bem analisadas para o resultado final sair como foi planejado. 

Mas você deve estar se perguntando, em prol do benefício da empresa, o que significa recuperar ativos? Uma taxa alta na recuperação de ativos simboliza maior controle financeiro da companhia, pois, ao reverter esses valores, existe uma melhora no fluxo de caixa e aumenta a fluidez no trabalho. Além disso, outros benefícios vão ser expostos logo abaixo.

Por que investir em recuperação de ativos?

Dentre todas as vantagens da recuperação de ativos, a manutenção da saúde financeira da empresa é uma das mais relevantes. Assim, com a parte financeira alinhada, os outros departamentos conseguem caminhar de forma mais eficaz. Nesse sentido, o fluxo de caixa e a fluidez são dois aspectos que tendem a ter uma melhora significativa com esse processo. 

Além disso, é válido ressaltar que o processo de recuperação de ativos visa encontrar uma resolução eficiente, que seja benéfica, na medida do possível, para todos os envolvidos na negociação. Dessa maneira, a relação entre credor e devedor torna-se muito mais saudável e orgânica, pois a abordagem deve ser feita de modo especializado e cuidadoso. 

Esse tipo de posição tomada pela empresa reduz a chance de perder clientes ou parceiros por conta de um relacionamento profissional deturpado. Acima de tudo, recuperar ativos pretende promover a negociação sem desgastes.

Como funciona a recuperação de ativos?

Ao planejar um processo de recuperação de ativos, é essencial ter em mente que essa forma de trabalhar em cima da resolução de inadimplências necessita de uma análise prévia. Portanto, antes de mais nada, é preciso executar um cálculo de redução ao valor recuperável de ativos, ou seja, entender como anda a carteira de inadimplências da empresa. 

Sendo assim, essa primeira etapa deve mensurar todos os pagamentos e dívidas pendentes da companhia para, depois de finalizar esse processo, entender qual estratégia será adotada na recuperação. 

Após analisar a carteira de inadimplências, é necessário identificar os devedores. Algo que é considerado simples, mas quando dívidas antigas são colocadas em pauta, essa etapa acaba se tornando um pouco complicada e trabalhosa. Então, a fase subsequente é a abordagem dos devedores, que é considerado como o momento mais delicado. Caso ocorra uma aproximação com o inadimplente de forma precipitada, essa atitude pode refletir de forma negativa em todo o processo de negociação. Portanto, é recomendado que esse processo seja executado por uma equipe com experiência nesse ramo. 

Para executar o plano de recuperação de ativos, é necessário seguir fielmente todas as etapas que foram expostas acima. Contudo, existem duas classificações para esse processo, pode ser extrajudicial ou judicial. Confira quais são as principais características desses dois modos. 

Recuperação de ativos extrajudiciais

Nessa situação, a negociação acontece sem nenhuma intervenção judicial, ou seja, todo o processo gira em torno do credor e do devedor, sem nenhuma presença terceirizada. Geralmente, essa técnica é utilizada em situações de dívidas e pagamentos mais recentes, pois tendem a ser tratados com mais facilidade e clareza, em função do tempo de inadimplência. 

Recuperação de ativos judiciais

Nesse caso, a empresa credora entra no processo de negociação juntamente a uma equipe de advogados para tratar de todos os detalhes, respeitando os aspectos judiciais. Assim, essa maneira de abordagem costuma ser utilizada quando a primeira citada não deu resultado, pois o meio extrajudicial, na maioria das vezes, é o artifício mais recorrido, pois aparenta resolver as pendências de forma mais simples. 

Fazendo um balanço, é possível afirmar que as duas maneiras de recuperar ativos são eficientes, guardadas as devidas proporções. Afinal, a decisão de qual método utilizar depende da empresa, ou melhor dizendo, das necessidades da empresa. Portanto, antes de dar início a um processo de recuperação de ativos, é de suma importância que ocorra uma análise aos dados da companhia para decidir a melhor forma de executar esse projeto, trazendo o melhor resultado com o menor custo. 

Cobrança x Recuperação

Por fim, algo que deve ser explicado de uma vez por todas é a diferença entre cobrança e recuperação de ativos, pois muitos representantes de empresas confundem as duas ideias. Seguindo esse raciocínio, é extremamente normal uma companhia achar que está executando a recuperação de forma correta, sendo que, na verdade, estão apenas cobrando os devedores.

A principal diferença entre os dois conceitos é a forma de abordagem e a maneira de se relacionar com os inadimplentes. A cobrança consiste em um processo exaustivo de lembretes, portanto, sempre que possível, a empresa credora fica relembrando o devedor sobre o valor que deve ser pago. 

No entanto, apenas fazer isso é o grande problema de uma simples cobrança, pois esse tipo de atitude mostra ao seu cliente/parceiro que você só está interessado no dinheiro, e não em como a dívida pode ser resolvida de forma tranquila. 

Em contrapartida, o principal foco da recuperação de ativos é resolver todas as inadimplências da melhor maneira, ou seja, levando em consideração os benefícios e as condições de ambos os lados, tanto do credor como do devedor. Exatamente nesse ponto, na preocupação de como será o andamento da negociação, que existe um abismo entre cobrar e recuperar ativos. 

Ao iniciar um processo de acordo de forma delicada, respeitando todas as limitações e dificuldades que impedem essa resolução, a parte devedora se sente mais confortável para negociar e conseguir encerrar esse assunto da melhor forma. 

Vale ressaltar que a empresa credora tem a possibilidade de aceitar ou não as propostas dos devedores. Assim, a recuperação de ativos não significa deixar qualquer valor de pagamento passar. Por esta razão, a abordagem é um dos pilares desse processo e, além disso, os advogados devem ser acionados em casos mais complicados e em situações de discordância, mas sempre mantendo o respeito e apreço aos dois lados da negociação. Por isso, a Credisul também pode auxiliá-lo no processo. Acesse o site para saber mais sobre o assunto.

Imagem padrão
credisul
Artigos: 35

Deixar uma resposta